quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

ufa...

Acabaram-se as expectativas, então acabou o desasossego também. E isso tem que ser notícia boa. :)

Beijo pra vocês. Obrigado pelo carinho de todo mundo que comentou aqui nos dias tensos, mesmo com os posts muito intimistas e mau humorados. Obrigado Margot. Obrigado Edu (pode deixar, que o muso do blog agora vai ser o senhor :D), obrigado Tainá, Alan, Carol, Cravo, Regis, Gui, Heron, todo mundo...

E obrigado a quem quer que tenha sido o anjo que fez minha irmã vaKa dar sinal de vida, foi de longe o melhor presente que eu recebi.

Continuar agora, né?


P.S.: Recomeçar, né?
P.S.2: Obrigado minha fufura, que segura com beleza, bom humor, riqueza e saco de filó o carma de ter um namorado como eu. Beijo amor, Cam dessa minha vida de Mitchell.



segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

domingo, 24 de fevereiro de 2013

decisões II

Deixo o muso do blog abrir a semana novamente. Sugiro todos os vídeos disponíveis dele no Youtube, mas selecionei três dos 12 milhões que assisti ontem.

Sugiro particularmente o último da lista aqui presente.

É isto.
Bom dia, bom domingo.











sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

tá chegando

Ó só a Vida Simples de março dizendo exatamente a mesma coisa que eu disse no começo desta semana! Vai ver tô no caminho certo (ou pronto pra fazer matéria de autoajuda :P).

Ótimo fim de semana pra vocês. O meu vai ser longo. Até breve.
;-)



Sue beijou! ♥

Pense numa pessoa que consegue chorar a cada episódio de "The Middle", por mais simples que ele pareça.

Acertou.



quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

SET me free

Esta semana eu recusei uma coleção da SET e todos os exemplares entre 2003 e 2007 da VIP, que seriam doados pelo meu amigo João, que está se desfazendo das revistas por motivo de mudança de casa.

Parece uma bobagem, mas não aceitar essas centenas de revistas (ainda mais essas duas, que eu adorava nos velhos tempos) é bem um passo grande pra mim, que não estou mudando de casa (ainda), mas definitivamente já estou mudando de vida. 

Não apenas não agreguei o mimo à minha hemeroteca como, muito em breve, também eu vou abrir mão de um número considerável das minhas revistas. Só espero encontrar uma biblioteca pública que as receba, meu coração apaixonado por revistas e por História se partiria se eu tiver que doar pra reciclagem, especialmente depois de guardar com tanto apreço por tantos anos.

Enfim, um passo insignificante pra humanidade, mas um salto gigantesco pra mim.

Boa tarde.



quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Mavis & me

Eu assisti ano passado, por (mais uma) indicação certeira do Alan Raspante. Foi tamanha a identificação que rolou até um certo choque e eu acabei não conseguindo escrever a respeito na época. 

Daí esses dias eu assisti a "Jovens Adultos" mais uma vez, e eu continuo não conseguindo escrever sobre o filme (se o Alan não tivesse apagado o um dos seus 4 milhões de blogs onde ele publicou uma crítica perfeita eu colocaria o link aqui). De novo, e especialmente nesses dias que antecedem a tempestade, eu fiquei meio estarrecido com as semelhanças. Semelhanças que na verdade dão até um certo alívio, porque Mavis Gary é uma detestável adorável. 

Por mais fictícia que a personagem seja, a "realidade" de Mavis é tão próxima que ao final do filme eu tenho vontade de pegar o telefone e chamá-la pra beber comigo; bate uma certeza que aquela criatura, e somente ela, entenderia o que se passa.

Evidentemente não vou conseguir escrever nada que preste sobre o filme, ainda mais sem parecer o último dramático. Deixo, como de costume, a sugestão pra que assistam (o longa é ótimo, é um drama que esbarra na comédia, com atuações perfeitas, e muito injustiçado no Oscar do ano passado -- acho que não foi indicado a nada).

Pra mim, fica a vontade de ter também o mesmo fim da Mavis. Mas isso é só mais uma coisa a se acreditar nesses tempos em que não tá sobrando nada em que eu acredite de verdade.

Sorry o peso do texto. Vão lá ver o filme.


P.S.: Musiquinha e Mavis no volante, pra aliviar:

 

1, 2, 3, 4



Tá cada dia mais difícil não perder a fé. Dá força aí Divino Espírito, senão já era.



segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

de Fátima

Vendo os dois vídeos abaixo, ambos nos primeiros nove minutos de "Vale Tudo", eu me pergunto...

                           

                           
Alguém sabe dizer que fim levou Maria de Fátima? Tomou jeito? Se lascou? Casou com um príncipe gay e ficou rycah!? :D

Eu ri.




domingo, 17 de fevereiro de 2013

decisões





A sua felicidade só depende de você, só deve partir de você e das suas escolhas. Decidir seus caminhos a partir do caminho trilhado pelos outros, ou ainda a partir dos valores dos outros, só vai tornar sua trajetória mais pesada do que deveria ser e atrasar suas conquistas. Dê-se o valor e dê-se o direito à felicidade de verdade, a sua, não a dos outros.

Bom recomeço pra todos.



you may say I'm a dreamer




segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

carnaval 2013 - parte II

Comecei todo animadinho e achando que a vida era só felicidade. Daí...

Daniela, te compreendo.



domingo, 10 de fevereiro de 2013

carnaval 2013

"I kissed the floor, and I liked it. I liked it."



sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

alalÔ-ôôÔ-ôôÔ, já começÔÔ-ôôÔ-ôôÔ

E a minha fantasia este ano é de Sheilla, da Caverna do Dragão. De forma que sumo desde já, amigos. Se sobreviver à farra ao desespero de muvuca e gente "alegre" me encostando sem eu pedir eu volto.

Boa folia pra vocês.




quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

bem grande e grossa

Minha primeira ideia era nem falar no assunto. Depois pensei em fazer um post sugerindo que ao invés de dar visibilidade a gente imbecil como esse sujeito (mesmo que reclamando da imbecilidade dele) a gente dedicasse nosso tempo e nossos blogs pra falar de gente que faz bem a esse mundo. Por fim eu cansei dessa conversa toda (afinal, eu nem dei conta de assistir à entrevista mais que 2 minutos, Deus não me deu esse dom de ouvir idiotas), e aí apareceu no facebook a imagem acima que, tenho certeza, sintetiza a questão toda. E já tá bom. 

É preciso estar de olho nesse tipo de estrume, mas, na medida do possível, é sempre bom não fazê-los parecer mais importantes do que são; porque é desse tipo de atenção que eles se alimentam. Ninguém precisa desses monumentos ao retrocesso humano. Ninguém.


segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

unbroken heart

Lembra quando a gente sofre por amor? Lembra como a gente fica quando termina o relacionamento (em especial, quando não necessariamente termina o amor)? Lembra como dói?

Lembra do que a gente mais faz nessas horas? Sim, ouvir música, de preferência os maiores clássicos da dor de cotovelo. Fica aquela Adele rolando infinitamente e aquela certeza de que o mundo acabou e de que a gente não vai amar nunca mais! 

Só que para o bem, seres humanos que somos, somos patéticos. E para o bem também, somos resilientes. E uma hora aquela dor toda passa. A gente acha que não vai passar nunca, quando a gente tá sentindo, então, a gente tem certeza que não vai passar! Mas passa.

Dor pela perda de alguém, especialmente pela morte de alguém que você ama, essa não se vai mesmo não, hoje eu sei disso. Mas outras dores, como a do fim de um romance, pode saber, ainda que demore, uma hora ela se vai. 

E é também com amúsica que você tem certeza que já está tudo bem. Aquela mesma música que você ouvia e chorava, no momento em que você consegue ouvir de novo, e curtir, apenas porque a canção é bela ou porque ela te faz cantar, aí é que você sabe que passou a dor, e sabe tudo aquilo foi só a vida te fazendo mais forte e mais preparado -- e mais maduro e, portanto, mais feliz.

Abaixo, três dessas músicas, que anos atrás me consolaram e hoje são puro prazer pra mim.

Boa noite.









sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

discretíssimo

Orgulho do jornalismo brasileiro, o portal UOL consegue sempre se superar. Daí você vai, abre o site, começa lendo sobre a tragédia no Rio Grande do Sul, passa pela tragédia da volta de Renan Calheiros à presidência do Senado, vê uma nota sobre a tragédia da puta que leiloou a virgindade, mas que vai dar pra outro que resolveu pagar mais, a tragédia do "BBB" ainda no ar depois de 13 anos, e assim vai se perdendo em um milhão de informações importantes e desnecessárias, num emaranhado tão confuso a ponto de você já nem saber mais quais são as importantes e quais são as desnecessárias. 

Mas eis que ao continuar descendo a página, de repente, não mais que de repente, você dá de cara com uma bunda enorme no meio das manchetes. Trata-se de um anúncio do próprio UOL, super condizente e imageticamente equilibrado com a proposta do portal.

"O conteúdo mais quente da internet com toda discrição". Se bem que a julgar pela maneira como se perdeu a noção hoje em dia, quem pode dizer que não foi, de fato, uma abordagem discreta do UOL, não é mesmo?

Adorei o reflexo dos círculos na água simulando estrias na buza da coitada. Super "beleza real Dove", super "tesão inclusivo".




como fazer o desemprego parecer uma coisa linda e fofa

Assim, ó. (really, fia?)



[o - o]