quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Sia, seu Elastic Heart e meu Shia LaBeouf

Acredite, ainda  não abandonei o blog. Há semanas venho adiando um post sobre a Sia e sobre o quanto a história dela ajuda a entender minha vida em 2014. 

Nada disso importa no momento, entretanto (exceto pela Sia, e pela minha vida, que importam sempre). Fato é que antes que eu tivesse tempo slash inspiração pra escrever tal post, Sia veio e, pimba!, lançou outro clipe maravilhoso.

Pare tudo que estiver fazendo, PARE A SUA VIDA AGORA, e assista a isso. Além de ter de novo a bailarina mais maravilhosa do mundo, a.k.a. Maddie Ziegler, ainda me apresentou essa coisa que eu ainda não consegui descrever chamada Shia LaBeaouf (cujo corpo moverei montanhas pra ter).

Enfim, sei que não ando com muita moral na blogosfera, mas pelos anos de posts publicados aqui, sigam meu conselho e assistam "Elastic Heart".

Mandaria beijos pra vocês se tivesse me sobrado fôlego.



4 comentários:

Jose Soares disse...

Belo helênico,

Assistido...

Uma grande tragédia em alguns minutos!Somente uma verdadeira expressão artística consegue traduzir em tão pouco tempo o que leva anos para um ser humano entender na sua caminhada pessoal!
Necessidade de contato - Encontro - Medo - Agressividade - Fuga - Reconhecimento da Necessidade de contato - Aproximação - Vínculo - e Impossibilidade de manter esse Vínculo!
5:07 minutos da história de muitos de nós!

Obrigado por partilhar
bjs

André Mans disse...

tudo é genial nesse clipe: o corpo de shia, a bunda de shia... que mais tem mesmo no vídeo?

Tô Ligado disse...

Bom retorno

[ joe ] disse...

É um dos clips mais bonitos que eu vi em anos; mais do que isso, é um curta, é uma história, é arte. Eu já gostava muito da música, mas o video me emocionou em sua totalidade.
Essa galera criando caso, eu tenho pena, mas eu desligo rápido deles, não dou bola. Quando li a defesa da Sia quanto ao video (que ela mesma dirigiu), dizendo que "a Maddie e o Shia eram atores perfeitos para encenar o duelo desses dois estados de uma mesma Sia, e que sua intenção era criar algo com um conteúdo emotivo", eu sorri porque sabia que é exatamente o que ela realizou.
A melhor atuação da carreira do Shia LaBeouf e sequer teve falas. A Sia conseguiu dirigir seus atores com maestria, porque é muito difícil transpor tanto sentimento em uma narrativa tão simplória: um elemento de cenário, figurino quase não há; a história reina mesmo na atuação e na letra lindíssima de sua canção.
Artistas como poucos.

[j]